9.13.2007

"Tropa de elite, osso duro de roer, pega um, pega geral, também vai pegar você!"

Dirigido por José Padilha (Ônibus 174), com roteiro do diretor juntamente com Bráulio Mantovani (O Ano em Que Meus Pais Saíram de Férias). O filme é inspirado no livro “Elite da Tropa”, que foi escrito por André Batista, Rodrigo Pimentel e Luiz Eduardo Soares.
Tropa de Elite contará a história de dois amigos de infância, um que pertence à classe média e outro da classe baixa, filho de uma doméstica. Ambos realizam o sonho de infância de se tornarem policiais militares, dividindo o tempo entre as operações nos morros cariocas e as aulas numa faculdade particular. Decepcionados com a instituição, entram para o BOPE – Batalhão de Operações Especiais, grupo de elite da policia militar carioca conhecido pela caveira que ostenta como símbolo.
Os efeitos especiais do filme prometem ser algo nunca antes visto no cinema brasileiro. Além do americano Phill Nelson, que possui no currículo filmes como Gladiador (2000) e Falcão Negro em Perigo (2001), a equipe de profissionais norte-americanos especialistas em cenas de ação conta com Bruno Van Zeebroeck, Marc Banich e Mike Edmonson, todos os três com sucessos de Holywood na bagagem.
O orçamento do filme é algo controvertido, em cada fonte na internet se acha uma informação diferente. Porém é verdade que o valor subiu bastante devido ao prejuízo causado pelo roubo das armas usadas durante as gravações, à contratação da equipe de profissionais norte-americanos e aos custos de filmagens em quatro locações (fora de estúdio). Segundo a jornalista Silvana Arantes, do Folha On-line, o orçamento saltou de R$ 4,9 milhões para R$ 10,5 milhões.
Em 2006, durante as filmagens em uma comunidade da Zona Sul do Rio, a equipe do longa-metragem teve as armas usadas na produção roubadas. Mas esse não é o único problema que os realizadores do filme vêem enfrentando, o filme só chega às telonas no final deste mês, mas devido ao vazamento do filme pela internet, já se pode encontrar copias piratas sendo vendidas nas esquinas de todo Brasil. Ainda não se sabe ao certo como foram conseguidas as cópias da produção inédita. Porem, existe a suspeita de que uma das copias do filme teria sido furtada durante a fase de pós-produção.

De acordo com o José Padilha, o filme que vazou, não é o verdadeiro, já que não está totalmente editado. Huuummm... Você acredita? É... Nem eu. Mas pode ser que ele esteja falando a verdade ou essa afirmação pode também não passar de uma tentativa para fazer com que não comprem a versão "Jack Sparrow". Mas na minha opinião isso não irá adiantar coisa alguma. Até porque mesmo que seja o filme verdadeiro que esteja sendo vendido nas ruas, se o filme for realmente bom, isso não deve afetar (muito) o sucesso do filme. Lembram do filme Dois filhos de Francisco? Pois é, ele também vazou. Antes mesmo de seu lançamento já era possível encontrar facilmente cópias piratas em todo o Brasil. Mas nem por isso o filme deixou de ser um sucesso de bilheteria.
Vamos esperar para ver, espero que o filme seja tão bom quanto acredito que seja. Mais uma vez faço minhas as palavras do nosso ilustre Cid Moreira: “Estamos de ôôôÔÔÔôôôlho...”.
COTAÇÃO: 10/10

2 comentários:

Stabolito disse...

Eu tb ñ acredito. E acho q o estrago tá feito. Vão ter q gastar ainda mais de publicidade para levar o público ao cinema. E o orçamento vai subindo...

Pode ser q se pague nas bilheterias, eu ainda ñ duvido disso, mas tá ficando cada vez mais difícil.

Magda disse...

Concordo com vc. Esse filme é muito bom, um salto de qualidade na produção cinematográfica brasileira. Além da novidade tecnologica, o filme traz uma identidade estética forte e uma discussão muito rica quanto ao tráfico de drogas. Por isso está fazendo muito sucesso, e acho que a pirataria não será um empecilho para o filme.